segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Faz tempo...

Oi pessoal faz tempo que eu não posto alguma coisa aqui na verdade faz 25 dias que eu não posto nada para essas centenas de pessoas que leem esse blog ( calma gente isso foi ironia e tudo mundo sabe ), mas a realidade e que eu estava muitissímo ocupada, sei que isso e um clichê e uma desculpa mas também é a verdade, a volta das férias pra faculdade foi pesarosa, mas agora, quase um mês depois estou me adaptando.

Ainda não sei sobre o que escrever, de uma forma legal e espontânea sobre alguma coisa por que pensei em.muitos temas mas ainda não decidi nenhum, e como estou escrevendo esse belíssimo texto do meu mais novo smartphone, no ônibis saindo da faculdade e indo para a casa, não tive estou em muitas condições de pesquisar, ler e filtrar para poder escrever... e assim por diante

Ahh, mas tem uma coisa legal que vale citar, não sei se vocês, como eu curtem humor ácido com uma pitada de conscientização, um punhado de palavrões e cozinhado de forma rápida em uns 6 a 8 minutos, mas se curtem vão saber quem é caue moura um video maker do youtube ( notem que antes de me zuarem por causa da expressão usada entendam que eu não o considero um vloger, pois raramente ele fala da vida pessoal dele, na realidade em seu canal sempre é mais discutido temas politicos e sociais, como eu falei anteriormente de forma bem rápida e louca), bom voltando, pois como sempre me perdi, se vc gosta desse tipo de humor/intretenimento, vc sabe quem e caue moura, e o video dele da semana passada sobre o olho do tigre foi muito legal e motivador, já que eu como ele, preciso perder alguns quilos, mas o que eu queria saber e se vc que le esse blog conhece ele e sobretudo entendeu se ele estava falando da musica the eye of the tiger, ou alguma coisa assim, ou se ele tava falando sobre um livro que tem que fala sobre alcançar objetivosve administração do tempo com esse titulo, bom se vc conhece e sabe de qual deles ele se refiria no video poste no comentário pois estou curiosa para saber no que ele se baseou, se vc não conhece os videos do caue moura e nem gosta desse tipo de coisa, pode postar um comentário também, elogiando minha disciplina e a frequência quase que exata que eu adiciono os posts nessa budega.

Bom por hoje é só pessoal, nossa espero que eu não seja processada pela warner por essa frase, bom mas eles nem sabem que eu existo, então de bôa na lagoa. Agora é sério o post ta terminando pq eu ja cheguei no meu ponto e vou pegar o outro onibus e tenho que dormir que daqui a pouco vou trabalhar.

Não esqueçam de postar comentários e passar pros amigos e colegas o endereço do melhor blog do Brasil, tchau pra quem vai e boa noite pra quem fica.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Colegas e boa convivência





Olá, acho que faz quase uns dez dias que não posto nada desde o post de extréia do blog, o motivo na realidade é um pouco de preguiça e incerteza sobre o que escrever, fiquei na dúvida entre vários temas, como por exemplo, as olimpíadas fracassadas - para o Brasil claro porque para os EUA é um banho de medalhas, aliás como sempre - e outros temas que agora eu não me lembro no momento, de tão importantes que eram, enfim, deitada na minha caminha ouvindo um pouco de rock brasileiro (tihuana é rock né?) decidi escrever sobre uma coisa que surpreendentemente não tinha me incomodado tanto em outras fases da minha vida como agora: os ditos "colegas" e a boa convivência com eles, não sei se forçada - de um modo mais brutal- ou imposta, acho que imposta de modo circunstancial já que nunca é dito com todas as palavras ( ah não ser pela sua mãe, te dando uma bronca quando você acaba soltando pra vizinha que não gosta dela, ou dando a entender com todas as palavras que todo mundo sabe que a filha dela é meio vagabunda), e pensando bem a boa convivência juntamente com a hipocrisia e a falsa simpatia é algo que agente acaba aprendendo, meio que nas entrelinhas mesmo - claro dadas raras exceções de quando você e criado por alguém como a minha mãe que já deixa tudo bem claro, até demais...- e quando nos damos conta essa prática já e uma coisa banal que praticamos, e esperamos dos outros, do mesmo jeito que o resto das pessoas.



Acaba se tornando natural e visto como falta de educação se não praticada no grupo em questão, estranho, talvez seja pela nossa "vergonha" de nos mostrar e sermos autênticos que nos escondemos por trás dessa falsa moral, não me levem a mal eu sei e conheço pessoas que não se abatem com isso e falam mesmo e chegam até a ser meio chatas, mas infelizmente somos tão presos e paranoicos com nossos problemas que nos sentimos extremamente ofendidos quando uma pessoa dessa coloca as cartas na mesa conosco, de forma que realmente acaba atrapalhando o convívio entre essas duas pessoas, mas enfim girei, girei e acabei parando numa situação sem muita solução atualmente, hoje em dia se faz necessário essa falsa convivência onde somos simpáticos uns com os outros de forma, muitas vezes genérica, culminando em sempre termos vários colegas mas pouquíssimos ou nenhum amigo real.



Mas o que quero falar, e me perdi um pouco, é que eu não me importo com a quebra desse protocolo onde uma pessoa fala ou simplesmente deixa escapar ou o que acha de mim, muitas vezes por minhas atitudes, o que me irrita profundamente é a partir do momento em que esclareço para a determinada pessoa que realmente sou assim ou não sou, e o que fez com que ela pensasse assim muitas vezes foi uma interpretação errônea sobre minhas atitudes, ou apenas uma situação isolada, e essa pessoa não aceita isso de maneira nenhuma! Deu pra entender o que eu estou tentando dizer? Vou dar um exemplo prático, por um acaso do destino, um colega seu do trabalho vê você chapado de bebida e tira a conclusão precipitada que você e um pinguço, num certo momento a pessoa acaba soltando isso, e você com toda a paciência que deus te deu, explica, mesmo essa pessoa só sendo um COLEGA seu e você não devendo nenhuma explicação para ela, que aquilo foi uma besteira que aconteceu num show e que normalmente você nem é muito de beber, e mesmo assim com essa explicação super educada e simples, seu colega de trabalho não aceita e  tenta te mostrar que você e um alcoólatra inveterado e que você precisa aceitar isso.  Agora você que esta lendo esse texto me fala o que se fazer nessa situação? Sendo que a mesa desse colega e do lado da sua e ele senta todo o dia ali, o ideal seria mandar essa pessoa tomar no toba bem gostoso e dizer para ela parar de cuidar da sua vida e começar a cuidar da dela, por exemplo,  estudando, trabalhando em outro emprego ou em algo que deixasse ela ocupada o bastante para não ter tempo nem de ter desejar "bom dia", mas infelizmente você provavelmente como eu não faz isso e acaba tentando contornar a situação.



E agora que eu quero saber, esse excremento dessa pessoa quebrou o protocolo da boa convivência e ta te enchendo o saco pra cacete, mas você não pode a mandar sentar num cacete, por que isso? Quando vocês descobrirem por favor me contêm.

sábado, 28 de julho de 2012

Meu primeiro post... (nossa parabéns pra mim)


Olha vou começar esse post - ou qualquer que seja o nome correto já que não sou muito boa nesses bagulhos de internet- dizendo que, desde o advento desses blogs, twitter e etc, sempre tive vontade de ter o meu, onde pudesse me expressar dizendo o que penso de forma livre e sem represálias e contar alguns casos que vivi ou presenciei  na minha vida, mas nunca fui muito fã de escrever ou mandar mensagens bobas pro meus amigos me seguirem ou darem um like, por esse motivo achei melhor ficar na minha e não tomar nenhuma atitude, pelo menos até agora, mas to com tanta vontade de soltar o que eu penso, do mesmo jeito quando você está com vontade de soltar uma flatulência num lugar cheio de gente e silencioso, que decidi que não podia mais esperar mesmo que faça barulho e/ou tenha um cheirinho...
Não achem o que eu digo desagradável, me perdoem pela grafia um pouco errônea, e se acostumem com esse meu jeito de falar - ou melhor, de escrever- pois sou assim mesmo meio louca e não leio muito, a propósito coisa que estou tentando resolver  já que agora estou na faculdade e preciso desenvolver um conhecimento cada vez mais específico sobre a área que estudo, e tomar vergonha na cara também não faz mal né,  enfim vou tentar falar de forma resumida e interessante (e com certeza exagerada) sobre as coisas que eu gosto, desgosto e me revoltam, mas tentando manter algum anonimato já que, por incrível que pareça, minha mãe é muito mais ligada nessas coisas de internet do que eu e ela é mais da época em que só falamos se tivermos algo de bom pra dizer, porém curiosamente minha mãe fala tudo o que tiver que dizer mesmo se não for algo tão bom assim... Olha já estou perdida e esqueci o que estava falando, então resumindo vou falar sobre várias coisas aqui no blog, tudo que eu ache legal dissertar e se eu me perder tento voltar ao que eu estava falando e se eu não conseguir falo de outra coisa.
 Nossa estou escrevendo esse texto às 09h12min da manhã, to morrendo de sono, e minha mãe já ta falando que vai me acordar pra comprar remédio e lavar a panela elétrica dela. Mas tem uma coisa que eu preciso falar por que se eu não falar vou ter um troço, é uma atitude tão idiota e retardada que eu não acredito, ontem, ou antes, de ontem - não me lembro  muito bem - estava saindo com meu irmão pra comprar umas coisas no mercadinho e saindo da minha calçada vi uma coisa na parte superior do portão do vizinho que por um momento não acreditei! Sabe aquelas luzes que parecem sirenes de policiais só que sem o som que colocam na garagem de prédios escrito " Cuidado Veículo" (ta aí embaixo a imagem do negócio), então as mulas dos meus vizinhos colocaram aquela bosta na casa deles de 5 cômodos sendo que eles têm uma blazer ano 2005 ou 2006 verde e as vezes aparecem com um Peugeot 207 branco ou prata agora não me lembro direito, só sei que quando vi aquilo simplesmente não acreditei,  caralho meus vizinhos mais antigos têm vários tipos de carros há quase 10 anos e nunca aconteceu nenhum tipo de acidente que foi preciso uma placa de sinalização mostrando que tem veículos saindo de uma garagem residencial de uma rua residencial!!! Meu irmão achou minha reação um exagero e confesso que foi meio exagerada mesmo mas o que essas antas estavam pensando quando colocaram aquela porra no portão de sua casinha como circulasse por dia de 20 a 30 carros, na imensa garagem deles de duas vagas?!


Esses vizinhos novos são uma coisa inexplicável mesmo, imagina se um dia eles trocarem de carro por um melhor, vão "ter que" contratar um flanelinha, pra ajudar eles a manobrar o carro!